Quem Somos

Diretoria

Estatuto

Notícias

Dia a dia Afago

Seus Direitos

Cultura

Recordando o BB

Galeria de Fotos

Aniversariantes

Projetos

Associe-se

Convênios

Jornal da AFAGO

Fale Conosco

Página Principal

 
 
Nº de Visitas:
 

 
 
Aposentadoria do INSS fica menor com aumento da expectativa de vida 

 Benefício por tempo de contribuição ainda vale para quem vai pagar pedágio de 50% ou estava apto a se aposentar antes da promulgação da reforma. Assim o fator previdenciário continua a ser aplicado no cálculo.

O umento da expectativa de vida divulgada nesta quinta-feira (28) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) vai reduzir em média 0,64% a aposentadoria de alguns segurados do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) que ainda vão requerer o benefício.

Segundo cálculos do atuário Newton Conde, quem pode se aposentar com 30 anos de contribuição, se for mulher, e com 35 anos, se for homem, precisa trabalhar um mês e meio a mais para não ter nenhuma perda financeira..

O pagamento por tempo de contribuição continua existindo mesmo após a reforma da Previdência e com ele o fator previdenciário. Mas essa regra só vale para determinados trabalhadores.

O índice redutor continua a ser aplicado, por exemplo, no cálculo dos vencimentos das pessoas que vão se aposentar com pedágio de 50%. Essa regra de transição diz que quem estava há dois anos da inatividade na hora da promulgação da nova Previdência precisa trabalhar um ano a mais para ter direito à aposentadoria.

A fórmula também é usada ainda para calcular o benefício de quem estava apto a se aposentar antes da reforma, mas não fez o pedido. Essas pessoas não precisam cumprir regras de transição nem esperar uma idade mínima para se aposentar, porém são impactadas pelo fator..

De acordo com Conde, a tábua de mortalidade de 2018 mostra que pessoas que têm entre 40 e 80 anos, idades de quem geralmente pede aposentadoria, estão vivendo 49 dias a mais em comparação com o estudo de 2017.

O levantamento do IBGE revela que a expectativa de vida do brasileiro em 2018 era de 76,3 anos. Isso representa um aumento de três meses e 4 dias em relação a 2017. O tempo média de sobrevivência dos homens aumentou de 72,5 anos em 2017 para 72,8 anos em 2018, enquanto a das mulheres foi de 79,6 para 79,9 anos.

 

 

 
 

02/12/2019 - ANABB 
 

Coronavírus torna PEC emergencial prioridade, diz relator
16/03/2020 - ANABB
R$ 23 bilhões para o INSS
16/03/2020 - Correio Braziliense
A mamata acabou: a nova realidade dos sindicatos sem o imposto obrigatório
16/03/2020 - ANABB
Bancários vão ao Senado para debater MP 905
04/03/2020 - ANABB
Comitê realiza mobilização no Congresso em defesa das empresas públicas
04/03/2020 - ANABB
Governo avalia como regular taxação de seguro-desemprego
04/03/2020 - ANABB
ANABB conquista importantes avanços na MP 905
24/02/2020 - ANABB
A ANABB te ajuda a revisar a aposentadoria do INSS
24/02/2020 - ANABB
MP do Contrato de Trabalho Verde e Amarelo expõe visões opostas de juízes do Trabalho
23/02/2020 - ANABB
Aposentado deve R$ 138 bi
06/02/2020 - Correio Braziliense
Convênio INSS/CAIXA/FUNCEF é prorrogado
27/01/2020 - ANABB
BNDES pagou R$ 15 mi a mais por auditoria
27/01/2020 - ANABB
Banco Central amplia monitoramento de políticos
27/01/2020 - ANABB
Previ negocia com INSS manutenção do pagamento do benefício no Banco do Brasil
08/01/2020 - ANABB
Atenção Primária à Saúde reduz judicialização, é o que aponta estudo
08/01/2020 - ANABB
INSS faz ajuste em sistemas após reforma da Previdência
08/01/2020 - ANABB
ESCALADA DO CUSTO NA SAÚDE
26/12/2019 - ANABB
Se correr, Previdência come. Se ficar...
26/12/2019 - ANABB
Justiça do Rio de Janeiro suspende homologação do resultado da alteração estatutária da Cassi
24/12/2019 - ANABB
BC põe em consulta pública proposta para bancos compartilharem informações de cliente
02/12/2019 - ANABB
 
<<   <
>   >>    1713/1713 Registro